Superconsumidores – mais uma fórmula mágica?

Li recentemente uma entrevista com Eddie Yoon, que parece ser um dos maiores especialistas do mundo em estratégias de crescimento empresarial. Ele é autor do livro “Superconsumers: A Simple, Speedy and Sustainable Path to Superior Growth”.

Ele classifica estes superconsumidores como aqueles consumidores mais apaixonados e rentáveis de uma determinada categoria ou marca. Ele defende que estes consumidores podem representar 10% dos clientes de uma determinada categoria e com entre 30% a 70% do faturamento, além de serem os responsáveis por gerar 99% dos insights para o crescimento da categoria. E vai além, explicando que, em determinados segmentos, esta concentração ainda pode ser maior, dando como exemplo o The New York Times, que possui 3% dos leitores responsáveis por 90% da receita e o Candy Crush (aquele jogo de celular viciante e enervante), onde 0,15% dos jogadores são responsáveis por 50% do faturamento.