Convergindo a tecnologia e a experiência do cliente.

Há exatamente 30 anos, entrei em meu primeiro emprego formal em um banco. Meu pai, bancário por quase 40 anos, fez questão de arrumar para todos os quatro filhos um emprego no banco onde trabalhava. Apesar já na época ter certeza que não seguiria a carreira bancária, mesmo sendo bem jovem ainda, gostei muito da experiência não apenas por já conseguir meu próprio dinheiro, mas também porque ali, como escriturário e depois caixa, comecei a entender o que significa um relacionamento com clientes na prática do balcão.

Na época, os dois ícones de tecnologia que haviam no banco onde eu trabalhava (e na grande maioria deles), era o enorme terminal com aquelas telas de fósforo verde, como chamávamos os computadores que não tinham disco rígido e que funcionavam conectados diretamente aos mainframes do banco (o Windows ainda não existia!), e o saudoso bisavô do e-mail chamado Telex.