5 perguntas essenciais antes de criar um aplicativo

Costumo falar que, atualmente, a coisa mais íntima de uma pessoa é o seu smartphone. O aparelhinho virou quase que uma extensão do nosso corpo (ou do braço) e nele guardamos ou usamos como meio de acesso a tudo aquilo que é mais pessoal possível.

Fotos e vídeos de todos os tipos e situações, conversas nos aplicativos de mensagens, e-mails, redes sociais, acessos a bancos, informações de nossa atividade física, nossa localização e uma infinidade de outras informações que muitas vezes nem nós mesmos sabemos ou lembramos. E tudo isso é possível pelas dezenas ou centenas de aplicativos que instalamos em nossos celulares.